• Dario Perez

5 Ações práticas para sair bem da pandemia

Para começar, vamos aos fatos. A Pandemia causou um estrago enorme no Brasil. Digo isso tanto nos aspectos econômicos como na condição de saúde e bem estar social.

Como não sou medico, vou apenas me ater as práticas empresariais nesse artigo, visto que esse é o assunto que domino. Mas queria deixar claro de antemão que não participo dessa rixa economia X saúde instaurada em diversas conversas que participo. Para mim ambos são importantes. Não tem sentido ter uma economia estável com um povo doente, ao mesmo tempo que sabemos que a saúde de famílias dependem da capacidade de geração de renda. No final estamos falando de vidas.


Dito isso, vamos ao que interessa.


Para 2021, a OCDE projetou recuperação da economia global, com crescimento de 5,2%. Num cenário de segunda onda da pandemia, o avanço do PIB mundial se limitaria a 2,8%, acredita a entidade.” Vamos ver até dezembro sobre o quanto será essa recuperação, mas já estimasse que alguns locais no globo irão demorar anos para conseguir se recuperar economicamente.


Diante desse cenário tão conturbado, liderei uma pesquisa rápida para entender quais práticas boas e ruins as empresas estão adotando para conseguir sobreviver e recuperar seus resultados no meio desse caos.


Percebemos nesse estudo que existem negócios que estão performando bem diante à crise. Performar bem não é especificamente ter o seu negócio crescendo a valores astronômicos, mas sim obter um desempenho acima da média de mercado, conseguindo pagar as contas e girando bem negócio. E esse pequeno número de empresas, ainda com o cenário atual jogando extremamente contra o mercado, está conseguindo ir bem. Alguns tendo um crescimento bem relevante!


Diante do diálogo com essas empresas, retiramos cinco ações que todas estão fazendo em comum.


1 – Flexibilidade de custos


É a possibilidade de aumentar ou diminuir os seus gastos ou obrigações, conforme as suas necessidades de mercado. Isso é algo até bem comum em Startups, mas pouco utilizado em empresas convencionais. O mais engraçado é que algumas empresas nem perceberam que elas trabalhavam com flexibilidade de custos.


Poder elevar ou diminuir seus gastos faz com que você tenha sempre a possibilidade de gerar saldo positivo no final da sua operação, ainda que tenha uma queda na receita.


Para isso, vale entender dois conceitos básicos sobre finanças.


Gastos fixos:


Despesas ou Custos fixos são aqueles que não sofrem alteração de valor em caso de aumento ou diminuição da produção. Independem portanto, do nível de atividade, conhecidos também como custo de estrutura.


Gastos variáveis:


Classificamos como custos ou despesas variáveis aqueles que variam proporcionalmente de acordo com o nível de produção ou atividades. Seus valores dependem diretamente do volume produzido ou volume de vendas efetivado num determinado período.


Aqui mostro duas ações que você pode fazer para conseguir flexibilidade de gastos.


Ação 1


Focar em gastos variáveis:


Ter como obrigações que podem oscilar de acordo com sua receita é fundamental para garantir a melhor dinâmica do seu negócio. Claro que dependendo do seu segmento isso não pode ser feito com tudo, mas a pandemia conseguiu nos ensinar que itens que anteriormente achávamos que era impossível viver sem, como um escritório por exemplo, podem ser substituídos por ideias mais inovadoras, como home office ou Coworkings.


Ação 2


Ativos alavancados:


No passado, para ser uma grande empresa, era necessário investir muito dinheiro em máquinas, instalações e equipamentos. Agora não! É possível utilizar ativos já disponíveis de parceiros e empresas conectadas com o seu negócio.


Um bom exemplo é o Uber. Uma das maiores Startups de transporte de passageiros por motoristas não possui nenhum carro próprio.


2 - Portfólio de Produtos


As empresas que estão conquistando mais sucesso possuem um robusto portfólio de produtos. O que não quer dizer obter vários produtos com intuitos diferentes, mas sim ofertar mais soluções para os seus clientes envolvendo o seu core business. Sendo assim, você já possui o conhecimento do que faz e pode atribuir o mesmo time de funcionários para atuar nesse novo produto, bem como a mesma carteira de clientes que já possui relação com você.


Ação 3


Trabalhe com o que chamamos de Tríade da Receita – Modelo intuitivo para disseminar seu portfólio de produtos. (A Tríade da Receita é uma metodologia que criei, irei realizar um artigo falando apenas sobre isso.)


Receitas únicas: Você possivelmente terá um pico de vendas em algum momento durante a sua receita. Porém, da mesma maneira, você poderá possuir uma queda muito acentuada dentro da sua dinâmica. É importante ter produtos de receita única para dar um punch no seu caixa, mas definitivamente você passará por altos e baixos muito fortes só trabalhando com isso.


Receitas Sazonais: Diminuição do tempo de declive, mas oscilações dentro do mercado. Margem de contribuição moderada mas com uma previsibilidade melhor. Tenha receitas sazonais para manter um relacionamento com o cliente e receitas mais frequentes que vão segurar o seu negócio.


Receitas Recorrentes: Se você possui uma Margem Bruta de grande força, possivelmente não terá problemas com as receitas recorrentes (normalmente Startups ou empresas ScaleUps). Mas a grande maioria dos micros e pequenos negócios possuem uma margem pequena nesse tipo de categoria de produto.


Provavelmente, você não irá ter a possibilidade de alavancar o seu negócio e obter lucro suficiente para reinvestimento. Você pode até pagar as contas ao final do mês ou ano, mas não vai crescer.


A grande dica aqui é você ter pelo menos dois desses três itens da tríade da receita.


3 - Tecnologia embarcada:


Não é um produto digital, mas sim, um processo tecnológico que irá te ajudar a potencializar seu negócio.


Segundo a ABGI, maior bloco de consultoria internacional, ela pode acontecer de duas formas:


Inovação de Produto


A inovação de produto consiste em modificações nos atributos dos bens ou serviços, tais como mudanças na forma como ele é percebido pelos consumidores. O aperfeiçoamento de produto (bem ou serviço), refere-se a um produto previamente existente, cujo desempenho foi substancialmente incrementado ou aperfeiçoado, através de mudanças nas matérias-primas, componentes ou em outras características que melhorem seu desempenho. No Manual de Apoio ao Preenchimento da Pintec (2014), as inovações de produto compreendem aqueles tecnologicamente novos e/ou substancialmente aperfeiçoados.


Inovação de Processo


A inovação de processo trata de mudanças no processo de fabricação do bem ou na prestação de um serviço. Não gera, necessariamente, impacto no produto final, mas produz benefícios no processo de produção, geralmente com aumentos de produtividade e qualidade do produto final e redução de custos.


É necessário trabalhar com a tecnologia, para a capilarização do seu negócio.


Ação 4


Foque em ferramentas já existentes para otimizar o seu negócio em processos internos. Hoje existem diversas ferramentas de custo muito baixo que você consegue começar a usar a partir do momento que você adquire. Se o seu negócio não tem vertente tecnologia, comece utilizando ferramentas existentes para otimizar seu processo.


Também irei fazer um artigo só com ferramentas. Aqui vão algumas que você precisa conhecer:


Trello – Plataforma de gerenciamento de processos;


Moskit – CRM (são parceiros da Planeja, comenta meu nome no processo de aquisição que você pode ganhar aquele desconto);


ContaAzul- Gestão Financeira (idem ao Moskit).


4 - Cultura movida a mudanças


Todas as empresas que estão obtendo bons resultados, possuem uma cultura movida a mudanças.


A cultura organizacional influencia diretamente a condução da empresa, seja no trabalho desenvolvido nos setores, na inovação em produtos, na capacidade dos profissionais que atuam nela, no clima organizacional, nas estratégias de liderança, entre outros fatores que garantem inclusive a sobrevivência da organização.


Ação 5


Invista no desenvolvimento da equipe voltada para inovação. Existem cursos muitos bons a preços muito baixos! Udemy por exemplo tem cursos legais que custam 50 pratas! Vergonha não é pagar pouco, vergonha é não oferecer nada para sua equipe!


5 - Indicadores de negócios


Os indicadores são as principais ferramentas que te dão visibilidade de negócio. Só assim, você terá uma decisão acertada.


É essencial observar seu índice de produtividade, para estabelecer qual é o patamar mínimo de produtividade e de entrega para cada tipo de profissional. Com a avaliação, é possível identificar quais são as equipes que não têm oferecido o desempenho esperado e quais funcionários se destacam.


Observe também seu ticket médio. O ticket médio corresponde ao valor total das vendas dividido pelo número de clientes. Como aponta o gasto médio de cada pessoa, é desejável que ele seja o maior possível, pois significa um faturamento maior com o mesmo custo de aquisição de cliente (CAC).


Ação 6


Saia do Excel e use sistemas para otimizar o seu tempo! Mais uma vez use tecnologias para isso. Eu adoro o ContaAzul para pequenas e medias empresas. Se você perder muito tempo conciliando contas você não vai querer parar para criar indicadores para o seu negócio.


Criar indicadores leva tempo, imagina ter que dobrar essa hora gasta conciliando conta bancaria!


Por fim, espero que esses itens consigam te ajudar a repensar o seu negócio. A única certeza que você pode ter nesse momento é que o que você fazia vai precisar se adaptar ao “novo normal”. Utilize essas dicas para se adaptar rapidamente e levar o seu negócio para ter resultado, assim como essas empresas estudadas, acima da média.


Vamos em frente!

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo